Organização de Jovens Espíritas

Um mundo melhor OJE!

bom, eu sei q em nenhum dos livros do pentateuco espirita o tema homossexualismo é citado, deixando a critério de cada pessoa a visão sobre o assunto. Mas essa é uma discussão muito presente nos dias de hj, então eu gostaria de saber a opinião de vcs, jovens espiritas, sobre o homossexualismo; se possivel uma visão religiosa sobre o tema, ja q muitos homossexuais deixam de procurar Deus pq as religiões pregam q "Ele não gosta dessas coisas" [opinião q eu discordo]

Exibições: 549

Responder esta

Respostas a este tópico

Correto Arlindo,a maioria dos homossexuais deixam de frequentar igrejas pelo certo "preconceito" da doutrina e alguns até deixam de acreditar em Deus. Penso que as igrejas deve fazer ao contrário, acolher essas pessoas já que existe preconceito na sociedade. Se uma das regras impostas dentro de uma religião é "Amar o próximos assim como Jesus vos amou" por que não funcionaria com a sexualidade do indivíduo?... O espiritismo aborda muito bem esse assunto e acolhe pessoas desse gênero.

Só queria dizer duas coisas: o Espiritismo NÃO FALA sobre homossexualidade. Quem falam são alguns estudiosos e algus espíritos, ou seja, não é a Doutrina Espírita. E, o Espiritismo não é nem a favor, nem contra. Ele apenas não emite opinião sobre o assunto nem condena nada ou ninguém. Qualquer opinião, qualquer informação sobre o assunto, enquanto não ocorrer pela universalidade dos espíritos, será apenas opinião pessoal, por mais "considerado" que seja o médium ou espírito, mas nunca posição da Doutrina.

O Flander disse uma coisa que deve ser sublinhada, "O Espiritismo nunca e jamais será contra o homossexualismo...

Escutei numa palestra, espírita, a opinião de um orador dizendo que "O Espiritismo é contra a homossexualidade". 
Isso gerou muita polêmica por esse palestrante ser influente no meio em que trabalha. E o que preocupa muito é a fé cega que fazem com que outros se aderem ao que esse palestrante disse.
Nenhum encarnado tem autoridade para falar pelo Espiritismo.

O Espiritismo nos traz as consequencias das imoralidades, que estão ligadas à conduta.

Acontece que somos tão preconceituosos que quando lembramos de um homossexual, vem na cabeça de muitos de nós a promiscuidade, que está presente independente da orientação sexual. A promiscuidade sim é uma conduta.

A orientação sexual não é uma conduta, é uma expressão do Espírito. Acontece que a banalizamos tanto que esquecemos que um homossexual pode fazer diferença igual ou maior que algum hétero na caridade para com o próximo.

O problema não está em ser homossexual, está na promiscuidade. E nenhuma orientação sexual está livre desse mal.

HOMOSSEXUALIDADE – EMMANUEL

Pergunta – Quando errante, que prefere o Espírito: encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher? Resposta: – Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar. Item n° 202, de “O Livro dos Espíritos”.
A homossexualidade, também hoje chamada transexualidade, em alguns círculos de ciência, definindo-se, no conjunto de suas características, por tendência da criatura para a comunhão afetiva com uma outra criatura do mesmo sexo, não encontra explicação fundamental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível, à luz da reencarnação. Observada a ocorrência, mais com os preconceitos da sociedade, constituída na Terra pela maioria heterossexual, do que com as verdades simples da vida, essa mesma ocorrência vai crescendo de intensidade e de extensão, com o próprio desenvolvimento da Humanidade, e o mundo vê, na atualidade, em todos os países, extensas comunidades de irmãos em experiência dessa espécie, somando milhões de homens e mulheres, solicitando atenção e respeito, em pé de igualdade ao respeito e à atenção devidos às criaturas heterossexuais. A coletividade humana aprenderá, gradativamente, a compreender que os conceitos de normalidade e de
anormalidade deixam a desejar quando se trate simplesmente de sinais morfológicos, para se erguerem como agentes mais elevados de definição da dignidade humana, de vez que a individualidade, em si, exalta a vida comunitária pelo próprio comportamento na sustentação do bem de todos ou a deprime pelo mal que causa com a parte que assume no jogo da delinqüência. A vida espiritual pura e simples se rege por afinidades eletivas essenciais; no entanto, através de milênios e milênios, o Espírito passa por fileira imensa de reencarnações, ora em posição de feminilidade, ora em condições de masculinidade, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade, mais ou menos pronunciado, em quase todas as criaturas. O homem e a mulher serão, desse modo, de maneira respectiva, acentuadamente masculino ou acentuadamente feminina, sem especificação psicológica absoluta. A face disso, a individualidade em trânsito, da experiência feminina para a masculina ou vice versa, ao envergar o casulo físico, demonstrará fatalmente os traços da feminilidade em que terá estagiado por muitos séculos, em que pese ao corpo de formação masculina que o segregue, verificando-se análogo processo com referência à mulher nas mesmas circunstâncias. Obviamente compreensível, em vista do exposto, que o Espírito no renascimento, entre os homens, pode tomar um corpo feminino ou masculino, não apenas atendendo-se ao imperativo de encargos particulares em determinado setor de ação, como também no que concerne a obrigações regenerativas. O homem que abusou das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas com a destruição de uniões construtivas e lares diversos, em muitos casos é induzido a buscar nova posição, no renascimento físico, em corpo morfologicamente feminino, aprendendo, em regime de prisão, a reajustar os próprios sentimentos, e a mulher que agiu de igual modo é impulsionada à reencarnação em corpo morfologicamente masculino, com idênticos fins. E, ainda, em muitos outros casos, Espíritos cultos e sensíveis, aspirando a realizar tarefas específicas na elevação de agrupamentos humanos e,conseqüentemente, na elevação de si próprios, rogam dos Instrutores da Vida Maior que os assistem a própria internação no campo físico, em vestimenta carnal oposta à estrutura psicológica pela qual transitoriamente se definem. Escolhem com isso viver temporàriamente ocultos na armadura carnal, com o que se garantem contra arrastamentos irreversíveis, no mundo afetivo, de maneira a perseverarem, sem maiores dificuldades, nos objetivos que abraçam. Observadas as tendências homossexuais dos companheiros reencarnados nessa faixa de prova ou de experiência, é forçoso se lhes dê o amparo educativo adequado, tanto quanto se administra instrução à maioria heterossexual. E para que isso se verifique em linhas de justiça e compreensão, caminha o mundo de hoje para mais alto entendimento dos problemas do amor e do sexo, porquanto, à frente da vida eterna, os erros e acertos dos irmãos de qualquer procedência, nos domínios do sexo e do amor, são analisados pelo mesmo elevado gabarito de Justiça e Misericórdia. Isso porque todos os assuntos nessa área da evolução e da vida se especificam na intimidade da consciência de cada um.
Fonte: http://temporecord.wordpress.com/2012/04/30/aborto-e-homossexualismo/

As causas da homossexualidade, segundo a Doutrina Espírita

Compreendamos que, para a Espiritualidade "o sexo não ‚ considerado unicamente por baliza morfológica do corpo de carne, distinguindo macho e fêmea, definição unilateral que, na Terra, ainda se faz seguir de atitudes e exigência tirânicas, herdadas do comportamento animal. Entre os Espíritos desencarnados, a partir daqueles de evolução mediana, o sexo é categorizado por atributo divino na individualidade humana, qual ocorre com a inteligência, com o sentimento, com o raciocínio e com as faculdades outras, até agora menos aplicadas nas técnicas da experiência humana."(2)
Desta forma, além dos recursos somáticos, "a alma guarda sua individualidade sexual intrínseca, a definir-se na feminilidade ou na masculinidade, conforme os caracteres acentuadamente passivos ou claramente ativos que lhe sejam próprios."(3)
"A sede real do sexo não se acha, dessa maneira, no veículo físico, mas sim na entidade espiritual, em sua estrutura complexa."(3)
Simonetti esclarece tais colocações, quando diz que "reencarnando como mulher ou como homem, consoante contingências evolutivas, o Espírito desenvolve paulatinamente, em sua psicologia, a masculinidade e a feminilidade. No estágio humano sempre haverá predominância de uma delas, segundo suas próprias opções."
"Portanto," continua, "não há masculinidade plena, nem plena feminilidade na Terra. Tanto a mulher tem algo de viril, quanto o homem de feminil." No processo reencarnatório "há o que se costuma definir como polarização (no sentido de atrair, concentrar), fazendo sobressair no indivíduo as características do sexo escolhido."(4) A ocorrência deste mecanismo "não assegura possibilidades de comportamento íntimo normal para todos, segundo a conceituação de normalidade que a maioria dos homens estabeleceu para o meio
social."(2) Embora reconheçamos que "a maioria das consciências encarnadas permanecem seguramente ajustadas à sinergia mente-corpo" (3), em algumas circunstâncias especiais aquela polarização citada não se realiza, "estabelecendo um confronto entre o sexo espiritual e o físico."(4)
Dentre estas condições especiais, o Dr. Jorge Andréa (5) vai estudar quatro, mais detalhadamente:
a) Intersexualismo (Pseudo-Hermafroditismo): indivíduos que desde o nascimento apresentam fisicamente órgãos sexuais ambíguos, porém sempre com a predominância de um pólo sexual que vai ajudar na definição sobre o sexo. Poderá haver necessidade de cirurgia corretora com posterior amparo psicológico e educacional. Serão classificados em pseudo-hermafroditas masculinos ou femininos conforme as gônadas (glândulas sexuais) sejam masculinas ou femininas;
b) Hermafroditismo: existência de órgãos reprodutores dos dois sexos, em potencialidades idênticas. Seria o chamado andrógino;
c) Transexualismo: seres absolutamente normais em suas funções sexuais de periferia (órgãos sexuais externos), mas que apresentam manifestações psicológicas do sexo oposto. O arcabouço psicológico não corresponde à realidade física;
d) Homossexualismo: casos típicos de desvios patológicos, em que os indivíduos procurariam atender às solicitações sexuais com parceiro do mesmo sexo, em atitudes ativas ou passivas.
Embora comumente a inversão sexual (mudança de sexo entre as encarnações) seja apontada como causa exclusiva destas condições especiais, podemos considerar, de uma forma geral, três situações em que tal inversão ocorreria:
1) Processo Evolutivo: no Livro dos Espíritos (6), a Espiritualidade indica que a constituição sexual orgânica do Espírito que vai reencarnar "depende das provas que ele tiver que sofrer." Allan Kardec acrescenta que "como devem progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, oferece-lhes provas e deveres especiais e novas ocasiões de adquirir experiências. Aquele que fosse sempre homem, só saberia o que sabem os homens."
Emmanuel aprofunda o tema, explicando que "a vida espiritual pura e simples se rege por afinidades eletivas essenciais; no entanto, através de milênios e milênios, o Espírito passa por fileira imensa de reencarnações, ora em posição de feminilidade, ora em condições de masculinidade, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade, mais ou menos pronunciado, em quase todas as criaturas"(1), conforme já fora comentado.
Simonetti acrescenta que "em elevados estágios evolutivos o Espírito alcança um perfeito equilíbrio entre o que de melhor pode oferecer os dois sexos"(4) em concordância com André‚ Luiz quando informa que "a perda dos característicos sexuais ocorrer espontaneamente, quando as almas humanas tiverem assimilado todas as experiências necessárias à própria sublimação, rumando (...) para a situação angélica, em que o indivíduo deterá em si todas as qualidades nobres inerentes à masculinidade e à feminilidade (...)"(7)
"Compreendemos, destarte, que na variação de nossas experiências adquirimos, gradativamente, qualidades divinas, como sejam a energia e a ternura, a fortaleza e a humildade, o poder e a delicadeza, a inteligência e o sentimento, a iniciativa e a intuição, a sabedoria e o amor, até lograrmos o supremo equilíbrio em Deus." (8)
2) Processos expiatórios e regenerativos: Joanna de Ângelis explica que "as aptidões para uma reencarnação na masculinidade ou na feminilidade são sempre o resultado da conduta na forma anterior, que o Espírito vitalizou, e na qual coletou conquistas e prejuízos que cumpre multiplicar ou reparar a sacrifícios que se impõem na cadinho regenerador da carne."(13)
Lembramos que "em muitas ocasiões, quando o homem tiraniza a mulher, furtando-lhe os direitos e cometendo abusos em nome de sua pretensa superioridade, desorganiza-se ele próprio a tal ponto que, inconsciente e desequilibrado, ‚ conduzido pelos agentes da Lei Divina a renascimento doloroso, em corpo feminino, para que no extremo desconforto íntimo, aprenda a venerar na mulher sua irmã e companheira, filha e mãe, diante de Deus, ocorrendo idêntica situação à mulher criminosa que, depois de arrastar o homem à devassidão e à delinqüência, cria para si mesma terrível alienação mental para além do sepulcro, requisitando quase sempre, a internação em corpo masculino, a fim de que, nas teias do infortúnio de sua emotividade, saiba edificar no seu ser o respeito que deve ao homem, perante o Senhor."(9)
Embora lembrando a existência de outras formas de expiação, Leon Denis adverte que "a mudança de sexo poderia ser considerada como um ato imposto pela lei de justiça e reparação num único caso, o qual se dá quando maus-tratos ou graves danos são infligidos a pessoas de um sexo, atraindo para este mesmo sexo os Espíritos responsáveis, para assim sofrerem por sua vez, os efeitos das causa a que deram origem."(10)
Emmanuel detalha esta situação, quando coloca que "o homem que abusou das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas com a destruição de uniões construtivas e lares diversos, em muitos casos é induzido a buscar nova posição, no renascimento físico, em corpo morfologicamente feminino, aprendendo, em regime de prisão, a reajustar os próprios sentimentos, e a mulher que agiu de igual modo é impulsionada à reencarnação em corpo morfologicamente masculino, com idênticos fins."(1)
Bezerra de Menezes sintetiza: “Destituído de equipamentos sexuais, o Espírito é neutro na forma da expressão genésica, possuindo ambas as polaridades em que o sexo se expressa, necessitando, através da reencarnação, de experienciar uma como outra manifestação, a fim de desenvolver sentimentos que são compatíveis com os hormônios que produzem. Face a essa condição, assume uma ou outra postura sexual, devendo desenvolve-la e vivenciá-la com dignificação, evitando comprometimentos que exigem retornos dolorosos ou alterações orgânicas sem a perda dos conteúdos emocionais ou psicológicos. Isto equivale a dizer que, toda vez quando abusa de uma função, volta a vivenciá-la, a fim de recuperá-la, mediante processos limitadores, inibitórios ou castradores. Todavia, se insiste em perverter-se, atendendo mais aos impulsos do que à razão, dominado antes pelo instinto que pelo sentimento, retorna em outra polaridade que não o capacita para sua manifestação conforme desejara, correndo o risco de canalização de forma equivocada.” (16)
3) Encargos particulares: em muitas circunstâncias, Espíritos cultos e sensíveis reencarnam em corpos que lhes não correspondem aos mais recônditos sentimentos, em vestimenta carnal oposta à sua estrutura psicológica, posição esta solicitada por eles próprios no intuito de operarem com mais segurança e valor, não só no acrisolamento moral de si mesmos como também a execução de tarefas especializadas através de estágios perigosos de solidão, em favor do campo social terrestre, que se lhes vale da renúncia construtiva para acelerar o passo na entendimento da vida e no progresso espiritual. (1) (6)
"Escolhem com isso viver temporariamente ocultos na armadura carnal, com o que se garantem contra arrastamentos irresistíveis, no mundo afetivo, de maneira a perseverarem nos objetivos que abraçam." (1)
Simonetti explica que o indivíduo nesta situação, "com uma psicologia que não se ajusta à morfologia, tender a sentir atração por indivíduos do mesmo sexo. Como sua consciência não lhe permite um envolvimento deste tipo, que sente contraditória à natureza, opta pela solidão afetiva, com o que passa a dedicar-se inteiramente às tarefas a que se propôs, desdobrando sacrificial existência."(4)
Tendo em vista estas considerações, podemos verificar que as causas dos desvios na área do sexo, situam-se na intimidade do Espírito, nas enfermidades do instinto sexual, que permeia todas as etapas evolutivas, cujas energias criadoras "à falta de sólido socorro íntimo para que se canalizem na direção do bem, obliteram as faculdades ainda vacilantes do discernimento e, à maneira do esfaimado alheio ao bom senso, a criatura lesada em seu equilíbrio sexual costuma entregar-se à rebelião e à loucura, em síndromes espirituais de ciúme e despeito."(3)
Assim, "por semelhantes rupturas dos sistemas psicossomáticos, harmonizados em permutas de cargas magnéticas afins, no terreno da sexualidade física ou exclusivamente psíquica, é que múltiplos sofrimentos são contraídos por todos nós." (3)
Tais enfermidades ou desajustes do instinto sexual originam na ciência de hoje as indagações e os conceitos da psicologia de profundidade, que, identificando-os, não podem lhes oferecer medicação adequada, "porque apenas o conhecimento superior, gravado na própria alma, pode opor barreiras à extensão do conflito existente, traçando caminhos novos à energia criadora do sexo, quando em perigoso desequilíbrio."(3)
Desta forma, com relação à homossexualidade, muito mais que "causas", poderíamos indicar algumas condições (às vezes simultâneas) em que esta problemática do instinto sexual se exteriorizaria:
a) Inversão sexual: quando o indivíduo, por deficiência do desenvolvimento espiritual, não suportar as pressões decorrentes de sua nova condição física, buscando o sexo de sua predileção psicológica, na procura de satisfação dos sentidos físicos (5);
b) Processo obsessivo: quando ocorre o assédio de Espíritos que buscam provocar ou se aproveitar das distonias no centro da emoção. Atuando sobre os centros genésicos, o obsessor tem sua ação facilitada pelas tendências de vidas anteriores que o obsidiado traz impressas em seu perispírito. Quando o indivíduo não possui defesas morais, o processo obsessivo pode chegar à vampirização (11) (12);
c) Processo vicioso: quando o indivíduo, mesmo sem enfrentar os inquietantes problemas da inversão sexual, opta por uma vivência homossexual, como um "modo de ser" diferente, em busca de novas experiências no campo do sexo. Como todos os vícios, o homossexual com esta característica visa o prazer, que redunda sempre temporário e incompleto, exigindo de cada um posterior reequilíbrio, muitas vezes através do sofrimento e do sacrifício pessoal (4);
d) Condições psicossociais:
** fatores educacionais : quando a educação, apoiada em inclinações morais deficitárias, ainda não amadurecidas para a verdadeira liberdade, contribui para despertar no indivíduo as tendências sepultadas nas profundezas do inconsciente espiritual (14) (15);
** perturbações psiquiátricas não devidamente diagnosticadas (15);
** condições esporádicas ou acidentais: enquadra-se nesta situação as relações homossexuais existentes como alternativa para as necessidades sexuais, como nos casos das prisões, dos internatos, no exército, nas guerras, etc., quando ocorre a separação dos indivíduos de sexos opostos ‚ de longa duração.
Deve-se ressaltar que muitos homens e mulheres que durante este período mantém um comportamento ou uma conduta homossexual, muitas vezes forçados pelo meio, retornam à heterossexualidade após cessada a condição extraordinária;
** identificação psicossexual: psicologicamente, parece haver em muitos indivíduos homossexuais uma grande identificação afetiva com a mãe, numa relação simbiótica, e que vai dificultar o seu processo de humanização, de tomada de consciência de si, dos outros e do mundo. Há, aparentemente, uma insistente figura paterna que fica "à espreita" nas biografias dos homossexuais, denunciando uma
relação atribulada e difícil com o pai, enquanto a mãe apareceria numa posição de cumplicidade com o filho.

Bibliografia Espírita:

(1) Vida e Sexo. Espírito Emmanuel/Francisco Cândido Xavier. cap.21 - Homossexualismo
(2) Sexo e Destino. Espírito André Luiz/Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. 2¦ parte - cap. IX
(3) Evolução em Dois Mundos. Espírito André Luiz/Francisco Cândido Xavier - Waldo Vieira. 1¦ Parte - cap. XVIII - Sexo e corpo espiritual.
(4) Quem tem medo dos Espíritos? - Richard Simonetti - cap. "Inversão Sexual"
(5) Forças Sexuais da Alma - Dr. Jorge Andréa - cap. "Intersexualismo. Transexualismo e Mudanças de Polarização Sexual em face da Reencarnação. Homossexualismo."
(6) Livro dos Espíritos - Allan Kardec - questão 202 - Trad. Herculano Pires
(7) Evolução em Dois Mundos. Espírito André Luiz/Francisco Cândido Xavier - Waldo Vieira. 2¦ Parte - cap. XII - Diferenciação dos sexos.
(8) No Mundo Maior - Espírito André Luiz/Francisco Cândido Xavier - cap. 11 - Sexo
(9) Ação e Reação - Espírito André Luiz/Francisco Cândido Xavier - cap. 15 - Anotações Oportunas
(10) O Problema do Ser, do Destino e da Dor - Leon Denis - cap. XIII - As vidas sucessivas. A reencarnação e suas leis
(11) Nos Bastidores da Obsessão - Espírito Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo P. Franco - cap. 8 - Processos obsessivos
(12) Dramas da Obsessão - Espírito Dr. Bezerra de Menezes/Yvonne A. Pereira - 1¦ parte - cap. V
(13) No Limiar do Infinito - Espírito Joanna de Ângelis/Divaldo P. Franco - cap. 9 - Sexo e Reprodução
(14) Espírito, Períspirito e Alma - Hernani Guimarães Andrade - cap. 10 - Considerações Finais
(15) Educação e Vivência - Espírito Camilo/José Raul Teixeira
(16) Sexo e Obsessão – Espírito Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo Franco – cap. 15 – Sexo e Obsessão
(17) Loucura e Obsessão - Espírito Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo Franco – cap. 6 – Destino e Sexo

Responder à discussão

RSS

A OJE foi criada com o ideal da união de jovens espíritas, sua sede é em Uberlândia-MG onde trabalhamos para união de mocidades da cidade.

Badge

Carregando...

Notas

Confira os destaques do Movimento Espírita na Europa

Criado por Redação OJE 25 Jul 2010 at 19:11. Atualizado pela última vez por Redação OJE 25 Jul, 2010.

Filme "Nosso Lar" leva às telas o famoso livro de Chico Xavier

Criado por Redação OJE 25 Jul 2010 at 18:44. Atualizado pela última vez por Redação OJE 25 Jul, 2010.

© 2019   Criado por OJE.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço