Organização de Jovens Espíritas

Um mundo melhor OJE!

Como vocês agem com o preconceito que ainda existe em relação ao espiritismo?

Desde o surgimento do espiritismo, este se depara com muito preconceito, apesar de ter diminuido muito. Infelizmente nós espíritas ainda se deparam com esses ignorantes, que falam o que não conhecem. Como vocês agem diante isso?

Exibições: 152

Responder esta

Respostas a este tópico

Bom, primeiro queria dizer que, na minha opinião, devemos tomar cuidado com a palavra "ignorante", pois pode ser considerada ofensiva, dependendo da circunstância em que é usada. Mas estou certo que a intenção do Leandro não foi ofender ou menosprezar ninguém. Apenas deixo o registro.

Sobre esse preconceito, também já passei por situações semelhantes e, em todas elas, percebi que as razões foram sempre as mesmas: desconhecimento da Doutrina Espírita ou conhecimento equivocado/errôneo.

Nesses casos, eu costumo analisar a pessoa com quem estou falando e a circunstâncias em que ocorrem. Assim, se perceber que a pessoa está aberta ao diálogo, eu tento explicar o ponto que gerou a controvérsia ou o preconceito, enfim, tento esclarecer. Inclusive, em certas conversas, até sugeri à pessoa ler as obras básicas, o que foi aceito.
Agora, se a pessoa não está disposta a ouvir, negando seus argumentos simplesmente por negar, acho que a melhor saída é encerrar a conversa, porque a discussão não vai levar a nada.
Da mesma forma, há momentos em que ouvimos as pessoas comentarem sobre o Espiritismo e até queremos explicar o que realmente ocorre, mas pode ocorrer que o local em que vc está e as circunstâncias talvez não sejam as mais indicadas para o tipo de conversa. Nesse caso, também acho que não há muito que fazer, é deixar que elas falem, afinal, elas tem o direito de terem a própria opinião.

Resumindo, acho que vai depender de caso a caso. Se vc perceber que é possível argumentar com a pessoa, bem. Caso contrário, o jeito é respeitar a opinião do próximo e evitar a discussão.

Para ilustrar, seguem alguns trechos do capítulo XXIII do livro "Conduta Espírita" (que, inclusive, está sendo estudado na OJE - Guia "Estudo”), denominado “Perante os profitentes de outras religiões”:

“O sarcasmo não edifica”.

“Aproveitar o tempo e as energias, fugindo às discussões estéreis em torno das
origens da Vida e do Universo ou sobre tópicos fundamentais do Espiritismo”.

“Em nenhuma circunstância, pretender conduzir alguém ou alguma instituição, dessa
ou daquela prática religiosa, à humilhação e ao ridículo”.

“O Sol, em nome de Deus, ilumina o passo de todas as criaturas”.

“Sistematicamente, não impor ou forçar a transformação religiosa dos irmãos alheios
à fé que lhe consola o coração”.

“Silenciar todo impulso a polêmicas com irmãos aprisionados a caprichos de natureza
Religiosa”.

“Discussão, em bases de ironia e azedume, é pancadaria mental”.

Abraço a todos.
Se há preconceito ou não; se fomos/somos preconceituosos ou não, a questão é que, de fato, podem ocorrer situações indelicadas com relação à discussão sobre a Doutrina Espírita.

Acho que uma dose de bom senso é um ótimo remédio nestes momentos.
Bom...antes eu ficava toda irritada e achava todo mundo ignorante...mas agora as coisas mudaram, compreendo que o que ocorre, como disse nosso amigo Marcel, é um desconhecimento da Doutrina Espírita, e até por medo, acredito, as pessoas acabam por criticar.
Hoje, eu tento explicar, dependendo do interesse da pessoa, se não encerro a conversa, e peço aos bons espíritos q um dia a pessoa possa compreender o que estava dizendo, ontem mesmo aconteceu um situação dessas.
Na faculdade acontecia muito, mas agora estamos todos tentando entender a forma de pensar de cada um, é interessante, pq vc fala e ouve tbém, acaba conhecendo outras formas de pensar, outras religiões e hábitos, e percebe q no fundo todas são muito parecidas, que apenas as formas de se expressarem que diferenciam.

Vamos praticar a paciência em ocasiões desagradáveis ;)

: )
Bom, eu já passei por isso varias vezes por exemplo, o meu vizinho é evangelico e toda vez que me via falava que precisava marcar uma reunião na minha casa pra falar com a gente e iria provar pra nois que o espiritismo era coisa do demônio. Ai um dia ele pediu uma carona e perguntou pra mim aonde eu estava indo, ai falei, pra mocidade espírita e antes que ele falasse eu disse se ele não concordava pelos menos respeitasse a minha escolha. Nunca + me pediu carona mais ja ta conversando comigo, brincando.
Penso que hj esta bem mais fácil, não sofremos perseguições como na epoca de Jesus, então com paciencia, exemplo, fé e o estudo a doutrina vai vencendo o preconceito. Um abraço!
Bem, na maioria da vezes faço como a Carol. Observo o interesse da pessoa que estou conversando, caso ela demonstre interesse, eu explico tudo o que sei e digo que ainda há muita coisa para se saber. Mas caso a pessoa venha com ignorância, eu pergunto se ela acredita nos ensinamentos do Cristo (até hoje a maioria responderam que sim) e digo que nós espíritas seguimos os mesmo ensinamentos, apenas com um olhar diferente das outras religiões.
Acredito que a prece pedinto esclarecimentos para essas pessoas é uma boa atitude tbm.
=D

Abraço
É engraçado tudo isso, antigamente, talvez há não tanto tempo assim, quando me perguntavam
minha religião, eu dizia tanta coisa, tentava explicar o que é espiritismo, blá, blá, blá, mas hoje
respondo com naturalidade, recebo críticas, severas, ás vezes, mas depois as pessoas vão nos
conhecendo e percebendo que não somos de outro mundo, e tentam se justificar, nos ofender e
quanto mais a gente não liga, mais confuso eles ficam, pois geralmente querem conflitos e
contendas, pois estão cheios de dúvidas. Precisamos, ainda, de muita compreensão e paz, não deixar
que nos abalem, entender o grau de consciência de cada um. Como diz Divaldo: "Nossa paz é como uma vestimenta, quando alguém puxa com força, logo ela se ranca". Que essa paz possa ser nossa essência a
todo momento, a paz do Cristo, a nossa paz. Fiquem com Deus, e obrigado pela oportunidade.
Um abraço fraterno.
Sou fã do Marcel e concordo com suas palavras!!

Comigo aconteceu e ainda acontece das pessoas acharem que o espiritismo lida apenas com trabalhos, macumba e etc e como disse o Marcel, se a pessoa estiver aberta a esclarecimentos, eu falo, adoro falar sobre essa Doutrina Consoladora e esclarecedora, mas infelizmente, nem todos estão abertos a ouvir. Conheço uma pessoa, q é catolica apostolica romana, frequentadora assidua da renovação carismática, e ela se recusa totalmente a entender o espiritismo, tem medo de tomar passe, mas tem como melhor amiga, uma espirita!! Chega até ser engraçado essas situações, esses medos, porém temos que respeita-los pois cada um tem sua fé, podemos dizer assim.
Cabe a essas pessoas quererem conhecer melhor a Doutrina e o nosso trabalho é esclarecê-las, com palavras e principalmente, com nossas atitudes!
Bom primeiramente temos que respeitar a opinão das outras pessoas, não vale a pena discutir quando esta não tem o conhecimento do que diz e só o faz para criticar. é uma situação que vamos enfrentar qualquer dia e diante disso não devemos replicar, e sim tentar mostrar um pouco da doutrina caso seja possivel porque muitas das vezes as pessoas só fazem criticar e não aceitam ouvir. mas a aqueles que se propoe a conhecer e muitos acabam por fim respeitando e até virando adepto ao espiritismo, e outras vezes isso nao acontecem e pode gerar difamação. mas cabe a nós agir com sensatez e evitar que qualquer tipo de comentario ruim interfira no nosso proposito. lembrar sempre que devemos respeitar nosso semelhente mesmo que em algum momento nos faça mal. sempre teremos que estar prontos para perdoar. e como disse o Marcel “Sistematicamente, não impor ou forçar a transformação religiosa dos irmãos alheios
à fé que lhe consola o coração”. Discussão, em bases de ironia e azedume, é pancadaria mental”.
Gosto de conversar com as pessoas de outras religiões para entender no que acreditam, enriquece o nosso saber, demonstra nosso respeito as diversidades, afinal estamos vivendo na mesma escola, mas nem sempre encontramos pessoas com quem podemos ter uma conversa franca.
Tenho um amigo muçulmano na faculdade, no posto de assistência que frequento também tem uma participante meio espírita - meio muçulmano. Alguns pensariam quer coisa pior, além de ser espírita, ser muçulmano. Mas para surpresa geral aprendi com eles lições muito interessantes, conceitos de vida muito diferentes do que a mídia pró-EUA nos diz.
A bondade de Deus manda missionários por todas as religiões e todos os cantos do planeta, lembremos que quase dois terços dos habitantes do mundo não são cristãos. No entanto, Deus e Jesus estão com todos!
Já conversei com Testemunhas de Jeová quando vão bem cedinho bater a porta de casa, com evangélicos, com adventistas...
Em alguns momentos vejo que é muito forte o preconceito das pessoas em relação ao espiritismo e nossa respota tem que ser sempre com trabalho, com nossos exemplos, com nossas palavras consoladoras. Jamais falando ou pensando mal de outra religião.
Pequeno exemplo:
Fiquei com uma dor muito grande no coração quando descobri o porque de minhas alunas, de tempos, na evangelização começarem a faltar as aulas, eram irmãs e formavam uma escadinha: Michele a menor, Mayara e Maikeli. Um dia encontrei saindo das atividade a Michele e perguntei sobre o motivo das faltas e ela não queria falar mas acabou dizendo que estava frequentando uma igreja e que estava proibida de ir porque era coisa do d(...). Voltei arrasado para casa ,tanto pelos anos de atividades, quanto pelos vínculos com as crianças. Até quis me revoltar, ir na igreja chamar o responsável para ir até nossas atividades ver como tínhamos um trabalho sério e cristão. No outro final de semana mais resignado, conversamos entre a equipe e combinamos de responder com trabalho, de trabalhar mais, de fazer melhor ainda o que nos propomos. E para minha imensa alegria nossos alunos foram voltando, e é claro que me lembro do rosto da Michele no final do ano comemorando conosco a Festinha de Natal.
já presenciei muito, muitas pessoas dizem que sao macumbas...só que como elas nuncam viram entao nao devem falar sobre o que nao conhecem.
Devemos amparar essas pessoas e esclarecerem sobre o que realmente é a Doutrina Espirita...o Consolador Prometido ...e tudo mais....
Creio que primeiramente , nós espíritas temos que assumir que somos espíritas, pois muitos de nos não falamos abertamente que somos espiritas, assim devemos analisar a questão para depois ver se esse preconceito está nos afetando no trabalho ao próximo!
Eu prefiro chamar, Escolhas ao inves de preconceito. O mundo hoje é divido é Paises culturas e religiões, o Brasil é multi culltural e possuis varias crenças. Quem de nós nunca se pegou falando ou não concorcando com a escolha fanatica de nosso irmao em relação ao outras forma de seguir Jesus através de outras religiões?
E nós nos achamos preconceituosos? talvez sim, ou não.
Em todas as formas de se adorar a Deus pode agradar um e não agradar a outro, e em algumas situações os poucos instruidos, assimilam a Doutrina espirita a pratica do camdomblé e umbanda, levando assim a criticas ironicas e as vezes muito pesadas e nesses casos levamos para o lado de preconceito, que em muitos casos pode ser, mas na maioria é falta de conhecimento.

Responder à discussão

RSS

A OJE foi criada com o ideal da união de jovens espíritas, sua sede é em Uberlândia-MG onde trabalhamos para união de mocidades da cidade.

Badge

Carregando...

Notas

Confira os destaques do Movimento Espírita na Europa

Criado por Redação OJE 25 Jul 2010 at 19:11. Atualizado pela última vez por Redação OJE 25 Jul, 2010.

Filme "Nosso Lar" leva às telas o famoso livro de Chico Xavier

Criado por Redação OJE 25 Jul 2010 at 18:44. Atualizado pela última vez por Redação OJE 25 Jul, 2010.

© 2019   Criado por OJE.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço