Organização de Jovens Espíritas

Um mundo melhor OJE!

Beleza meus caros amigos!

Estive pensando comigo mesmo galerinha, se a alguma restrição quanto ao casamento na igreja católica?

Não que eu esteja interessado em a casar agora (rsrsrs), pois sei que na Doutrina Espírita não à qualquer tipo de rituais ou dogmas.

Mais vamos lá, me ajudem!

Huuu... fui Abraços Fraternos sempre.

Exibições: 684

Responder esta

Respostas a este tópico

Acho que não, é só você convidar algum amigo ou palestrante que seja avançado no espiritismo para dá as bençãos e fazer o casamento no CE msm!

Caro Flander

Então cara, quantos e quantos casais espíritas se casam na igreja, sendo o catolicismo uma religião muito antiga, se criou a tradição de se casar na igreja, mas os egípcios faziam suas uniões dentre amigos agradecendo e pedindo bençãos aos deuses como a lua, sol, dentre outros, os feudais em sua maioria nem iam a igreja, davam uma festa e pediam para que o bispo em frequência fosse ao castelo onde estava acontecendo a união e desce suas bençãos, a questão de se casar na igreja foi se instituído porque é a casa do pai e lá serão abençoados os noivos, mas na visão espirita podemos olhar claramente que a casa do pai está em todas as partes e não somente em uma igreja, dai os casamentos espiritas em belos campos, ou somente uma união no civil.

 

Obs: Referente aos rituais, os mesmos podem ser considerados até no espiritismo, só o fato de sentarmos em uma mesa todo dia de estudo, ou estarmos de roupas claras, dentre outros, isto é um ritual. A palavra Ritual vem do latim Ritualis, e pode ser compreendido como sinônimo de Cerimônia. Também significa o conjunto de determinadas práticas que devem ser precisamente seguidas em ocasiões específicas. Numa conotação Ocultista, o Ritual é associado à práticas e cerimônias religiosas ou místicas, que podem ser realizadas de forma individual ou coletiva. Neste caso, o Ritual possui duas classificações principais: o Ritual Cerimonial e o Ritual Psíquico.

No Ritual Cerimonial, são necessários vestimentas, instrumentos e materiais específicos. Geralmente são coordenados por uma pessoa (no caso de ser praticado de forma coletiva) ou apenas segue a orientação de um determinado livro (neste caso, praticado individualmente). Este tipo de Ritual é comum nas religiões pagãs e de origem africana, e visa operar mudanças no campo físico.
A segunda modalidade ritualística é conhecida como Ritual Psíquico, na qual desenvolve-se principalmente através da psique e do intelecto do praticante. É uma forma de Magia Natural; é uma projeção mental (visualização) enviada ao Universo com o objetivo de efetuar mudanças no campo físico. Esse tipo de ritual é, geralmente, praticado individualmente por aqueles que iniciam os estudos ocultistas sem fazerem parte de um grupo (seita, coven, etc).
De qualquer forma, os rituais são poderosas e importantes ferramentas que devem ser utilizadas com responsabilidade e consciência. Os Rituais acionam e interferem em energias naturais; criam, alteram ou desencadeiam forças no campo físico, espiritual e astral. Portanto, é aconselhável que o praticante tenha um conhecimento prévio do que irá executar.

Esse assunto, embora pareça complexo, é bastante simples.

 

É claro e notório que na Doutrina Espírita NÃO HÁ rituais. Ao contrário, a Doutrina Espírita demonstra a insignificância de qualquer tipo de ritual.

 

Ritual, como bem disse nosso amigo Bulacha, é uma "cerimônia" com convensões e regras. Sentar-se em uma mesa todo dia para estudo seria um ritual apenas se esse ato partisse de regras e convensões sem fundamentos racionais. Caso o ato de sentar-se na mesa seja explicado pela melhor iluminação ou por ser um local mais silencioso, esse ato não denota um ritual!!

 

Repito: Na Doutrina Espírita não há rituais. Veja que eu não disse no "movimento espírita" e sim na "doutrina espírita". O "movimento espírita" diversas vezes se mostra contrário à Doutrina Espírita, INFELIZMENTE!

 

Há algum problema no casamento católico? NÃO

Há algum problema em duas pessoas espíritas se casarem na Igreja Católica? NÃO

Há algum problema em duas pessoas espíritas realizarem uma cerimônica para comemorar uma união estável? NÃO

  

O problema está em realizar uma cerimônia em um Centro Espírita. Está ainda em intitular a cerimônia da última pergunta de Casamento Espírita. Ora... os Centros Espíritas tem o dever regimental de seguir a Doutrina codificada por Allan Kardec e, como dissemos anteriormente, esse doutrina demonstra a insignificância dos rituais, bem como se distingue por não haver ritual. Logo, os centros espíritas tem o dever de demonstrar isso. Obviamente, se um centro "espírita" realiza uma cerimônia do tipo, ele está sendo tudo, MENOS espírita! Um cerimônia pode ser tudo, MENOS uma cerimônia espírita!

 

Veja bem, a cerimônia de casamento não tem nada de errado, o errado é dar a ela o nome de cerimônia espírita. Percebe a diferença? Você não pode chamar algo de espírita, simplesmente porque acha bonito, ou porque acha que não tem nada de mal. Não é assim que funciona. Para ser espírita tem de ser coerente com as 5 Obras básicas da Codificação.

O espiritismo é uma doutrina que, se bem entendida, não dá margem a esse tipo de prática e não porque é proibido. Você não vai encontrar na codificação espírita frases como: "Não realize uma cerimônia de casamento, porque é pecado, ou porque não pode".

Mas a medida que se estuda, você entende de fato o propósito da vida, você se "desgarra" de toda a fantasia que nutre o mundo e compreende que cerimônias, dogmas e o que quer que seja nesse sentido não tem finalidade.

Isso não significa que você ou qualquer outra pessoa não possam realizar cerimônias. Caso queiram, são livres pra isso e não estarão cometendo nenhum"pecado". Agora realizar em um Centro Espírita??? Denominá-la de Casamento Espírita??? Aí não dá.

 

Cerimônia para ter benção?? Eu vos questiono: "Por acaso, Deus não abençoa um casamento que não há cerimônia??"

 

Imagine os centros espíritas realizando batizados, crismas, missa de finados, de sétimo dia... Não podemos sequer cogitar esses rituais.

 

Vou encerrar com uma pergunta que fiz lá atrás:

 

Há algum problema em duas pessoas espíritas realizarem uma cerimônica para comemorar uma união estável? NÃO

 

Só não chame a cerimônia de "espírita", muito menos tente fazer em um Centro Espírita.

 

Abraço,

 

Gabriel

Cara , vc casa com a pessoa no momento que seus espiritos se unem..... casar na igreja é uma forma de mostrar pra sociedade que vc esta com a pessoa, assim como uma festa de casamento...

 

acredito que não tenha problema nenhum, só que ha prós e contras...como ainda somos seres caidos, ainda surgira um pouco de inveja de alguns irmãos no momento da cerimonia... assim tbm como a felicidade e o amor transmitido ao casal será enorme...as bençãos não vem s´´o de Deus ...e outra, vc tem q fazer oque deixa vc e sua companheira feliz...se isso te faz feliz...demoro...

 

abraço

O Renato complementou bem:

 

Você "casa" com a pessoa assim que há o amor e a vontade de construir uma vida em conjunto. O resto nada mais é do que demonstrar para a sociedade algo que já está consumado. Não tem essa de "receber benção de Deus", pois Deus abençoa tudo que tem por alicerce o amor desde o princípio!

 

Um abraço,

 

Gabriel

Acredito que com essas respostas conjuntas chegamos em um ponto muito comum, Espíritas não tem necessidade de benção de terceiros (Ex: Padre ou qualquer pessoas que já tem um conhecimento mais esclarecido da doutrina Espírita) basta apenas o amor, um laço afetivo entre duas pessoas. Como já foi explicado muito bem por vocês o momento em que o sentimento amoroso de maneira respeitosa entre um homem e uma mulher se torna verdadeiro já esta sendo abençoado por nosso amo querido Deus!

Flander,

 

Sem adentrar na questão dos rituais ou dogmas, recomendo a leitura do livro "Não Pise na Bola", de Richard Simonetti. O capítulo "Casamento Religioso", como o próprio nome sugere, trata justamente sobre a questão que você levantou.

Veja dois pequenos trechos:

 

"Não há posições inconciliáveis quando prevalece o bom senso. Disponha-se ao casamento religioso na intimidade do lar, com a presença de reduzido grupo familiar e do sacerdote" (p. 43).

 

"Doutrina da consciência livre, o Espiritismo não proíbe nada. Apenas orienta para que façamos o melhor, particularmente em relação às pessoas de nossa convivência, respeitando suas convicções" (p. 44).

 

É interessante como o autor nos apresenta uma solução, usando a velha regra do bom senso e abordando um dos preceitos fundamentais do Espiritismo.

Além disso, creio que ninguém será menos Espírita por se submeter aos ritos de um casamento da Igreja Católica. Aliás, tal fato pode constitur, inclusive, um gesto de caridade.

 

Abraços!

O Marcel disse algo importante:

 

"Além disso, creio que ninguém será menos Espírita por se submeter aos ritos de um casamento da Igreja Católica."

 

Como eu havia dito:

 

"Há algum problema em duas pessoas espíritas realizarem uma cerimônica para comemorar uma união estável? NÃO"

 

Não há proibições no espiritismo. Basta utilizar o bom senso.

 

Quando eu disse: "Só não chame a cerimônia de "espírita", muito menos tente fazer em um Centro Espírita."

 

Até chamar a cerimônia de "espírita" você pode, vide vários centros de umbanda que se denominam "espíritas" sem o serem. O fato é que independente disso, a cerimônia jamais será "espírita".

 

Exemplo: Uma pessoa pode colocar em um cartaz assim... "Traga seu filho para ser batizado no Centro Espírita". Ora.. é público e notório que Centro Espírita não realiza batizado, logo apesar de o  cara denominá-lo "Centro Espírita", esse jamais será um Centro Espírita.

 

No mesmo caso do batizado, ocorre o mesmo com qualquer instituição que realize casamento. Pode até se denominar Espírita, mas o bom senso diz que devido a insignificância nenhum Centro Espírita realiza cerimônias do tipo, pois isso seria uma atitude avessa à Doutrina, assim como o batizado.

 

Agora, não há problema algum em se casar na Igreja e muito menos em realizar uma cerimônia. O conhecimento e o bom senso mostra que isso é desnecessário no quesito "benção" e tem a finalidade de mostrar à sociedade uma união.

 

Agora, se fará alguém mais feliz... faça! Pois é para a felicidade do próximo que existimos!

Caros amigos

Jesus não pregou esta ou aquela religião, abordando as falas de nossos amigos anteriormente, pode ou não pode? É espírita ou não é? Creio eu que mais importante e um senso comum a todos seria e sempre será:

"Ame ao próximo como a si mesmo, e a DEUS  sobre todas as coisas!'

Eu acho que não tem problema nenhum, o que vale de verdade é o seu sentimento verdadeiro e não onde você vai fazer o casamento.

Se os dois forem espíritas é um tanto contraditório querer casar na igreja católica, por exemplo. Mas acho também que depende da intenção do casal. Eu já vi casamentos de outras culturas e achei lindo a forma que celebram, não vejo mal algum querer celebrar desse jeito. Quando apenas um é espírita é normal que se ceda um pouco pelo outro.
Meus pais fizeram como no evangelho no lar. Chamaram algumas poucas pessoas, as mais próximas, abriram o evangélio e comentaram a lição que caiu. Outros conhecidos meus alugaram um salão de festas e chamaram um amigo palestrante para que falasse ao casal e ao público sobre esta nova fase que é o casamento e então teve a festa e tudo.

Responder à discussão

RSS

A OJE foi criada com o ideal da união de jovens espíritas, sua sede é em Uberlândia-MG onde trabalhamos para união de mocidades da cidade.

Badge

Carregando...

Notas

Confira os destaques do Movimento Espírita na Europa

Criado por Redação OJE 25 Jul 2010 at 19:11. Atualizado pela última vez por Redação OJE 25 Jul, 2010.

Filme "Nosso Lar" leva às telas o famoso livro de Chico Xavier

Criado por Redação OJE 25 Jul 2010 at 18:44. Atualizado pela última vez por Redação OJE 25 Jul, 2010.

© 2018   Criado por OJE.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço